sábado, 21 de dezembro de 2013

Celebração da Páscoa de Walderes e memória dos 40 anos da PJ



Inspirado pela iluminação bíblica da comemoração dos 40 anos da Pastoral da Juventude no Brasil (“Não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos – At. 4,20”), resolvi fazer a partilha do que vi e ouvi na última terça e quarta-feira (17 e 18 de dezembro).

Na terça-feira, a Igreja da Libertação, a Igreja dos/as Pobres, e em especial a PJ e o CEBI (Centro de Estudos Bíblicos), perderam uma pessoa muito querida, o Walderes Brito.

Tive contato com o Walderes, apenas duas vezes, a primeira rapidamente e a segunda quando ele já estava debilitado, quando fui juntamente com uma amiga na casa dele, visita-lo. Mesmo sem tê-lo conhecido, decidi ir ao velório, em solidariedade a vários/as amigos/as, os/as quais tinham (tem) enorme admiração e consideração por ele.

Durante o velório, ocorrido na quarta-feira, em alguns momentos, rezamos o Ofício Divino e nos momentos de recordação, eram feitas partilhas a respeito do Walderes. Nessas partilhas, tive a certeza que mesmo diante da morte física, “a vida anuncia que renuncia a morte”. Isso para mim é o movimento da Ressurreição. Apesar da tristeza, foi uma experiência transcendental, perceber esse movimento, o qual é característico de quem de fato acredita e busca seguir o Ressuscitado.

Em uma das partilhas, foi dito que o Walderes sentia-se incomodado e indignado com a Igreja Católica, principalmente com a postura institucional, principalmente ante as relações homossexuais e às mulheres. Ao ouvir a partilha, lembrei-me de uma notícia que li na terça-feira. No dia em que Walderes realizou sua páscoa, o Papa Francisco comemorou 77 anos de vida e foi declarado a pessoa mais influente do mundo no ano de 2013, pela revista Advocate (publicação dedicada à comunidade LGBT - http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2013/12/17/revista-gay-americana-escolhe-francisco-como-personalidade-do-ano.htm). Conforme a revista, “Francisco ainda não disse que a Igreja Católica apoia as uniões civis entre casais do mesmo sexo, mas os comentários que ele fez já causaram reflexão e consternação na Igreja” e ainda segundo a revista, Francisco “tornou-se um sinal para os católicos e para o mundo de que o novo papa não é como o antigo e quer queiram ou não, o que ele diz faz diferença”. Walderes, infelizmente, não pôde ver isso em vida, mas com certeza, lá do céu, ele está feliz, pois simbolicamente, e a vida é feita de simbologias, isso pode significar um grande avanço.

Percebi o movimento da Ressurreição, também nas falas com relação à PJ e às Escolas Bíblicas. A maioria das partilhas, foram de pessoas que fizeram ou fazem parte da PJ ou das Escolas Bíblicas para Jovens. Ouvir essas partilhas aumentaram ainda mais meu encanto e amor pela PJ, me fazendo ter a certeza que realmente “ela vem de dentro, de dentro ela vem, toda energia que a PJ tem”. É essa energia que nos faz seguir em frente, que alimenta nossa esperança no Deus da Vida, da Libertação, da Ressurreição.

Que continuemos, como seguidores/as do Ressuscitado, percebendo a vida que brota da morte (ressurreição), na certeza de que “todas as coisas são mistérios”!  

Jardel Santana, jovem da PJ do Distrito Federal, Cajueiro.



3 comentários:

  1. Obrigado pela sua sensibilidade Jardel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por sua participação. Jardel de fato foi muito sensível.

      Excluir
    2. Que lindo Jardel! Obrigada. As memórias do Walderes, vai nos confortando, e assim vamos como os discípulos e discípulas de Jesus o ressuscitando a cada dia, fazendo-o presente no meio de nós sempre.
      Um beijo.

      Excluir