segunda-feira, 30 de março de 2015

Celebração de 2 anos do Cajueiro - Música

Muita gente pequena em muitos lugares pequenos, fazendo coisas pequenas mudarão a face da Terra" (Provérbio Africano). #2anosCajueiro
 




A minha vida eu vou doar
Juventude
Frutos vão se multiplicar
Cajueiro
Quando a paz se revelar
Juventude

Juventude #SouCajueiro
Cajueiro #SouJuventude
Juventude #SouCajueiro
Cajueiro #SouJuventude

Pra Juventude eu vou cantar
Cajueiro
A minha vida eu vou doar
Juventude
Frutos vão se multiplicar
Cajueiro
Quando a paz se revelar
Juventude

Juventude #SouCajueiro
Cajueiro #SouJuventude
Juventude #SouCajueiro
Cajueiro #SouJuventude
(Graça Figueiredo)





CRÉDITOS VÍDEO:

ACERVO CAJUEIRO - Imagens
GRAÇA FIGUEIREDO - Música
COMUNICAÇÃO 

Ciron Andrade  - edição

terça-feira, 10 de março de 2015

HAGA SU INSCRIPCIÓN - FAÇA SUA INSCRIÇÃO - CURSOS VIRTUALES - CURSOS VIRTUAIS

PORTUGUÊS

ATENÇÃO - PRORROGAÇÃO DO PRAZO ATÉ O DIA 30 DE MARÇO.

As inscrições iniciam no dia 10 e vão até o dia 30. Pagamento até o dia 5/04. Serão matriculados/as somente as pessoas que efetivarem o pagamento. Aulas iniciam no dia 1 de abril e terminam dia 10 de junho.
Quem tiver dificuldade com o pagamento favor escrever para virtual@cajueiro.org.br. (verifique antes na comunidade um apoio)

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

Informações em Português sobre os cursos  CLIQUE AQUI

ESPAÑOL
AMPLIACIÓN DEL PRAZO PARA LA INSCRIPCIÓN

Las inscripciones van del día 10/03 hasta el dia 30/03. El pago hasta día 05/04. Tendrán ingresos en las clases solamente las personas que efectuar el pago. Las aulas empezan en el día 1 de abril y finalizan día 10 de junio.
Quién no tiene como hacer el pago, favor enviar un mensage para virtual@cajueiro.org.br.(busque antes en la comunidad un apoyo)

HAGA SU INSCRIPCIÓN AQUI

Informaciones en Español sobre los cursos CLICK AQUI

quinta-feira, 5 de março de 2015

Cajueiro: 30 anos de Frutos - 2 anos de árvore - Berg Matutino


Um Amor de dois anos, que pode ser multiplicado por mil! - Emanuel Costa


    “Quando não puder transpor um obstáculo, não se desespere e nem desista.simplesmente contorne-o e siga em frente a sua jornada,na busca do objetivo”. Márcio Souza

    Falar do Cajueiro (árvore estrondosa ou pequena) é falar do chão que cultivamos e das sementes que existem, não só em dois anos, mas em décadas, pois falar do Cajueiro é também falar de nomes: Carmem, Lourival, Vanildes, Berg, João, Rezende, Alessandra, Kely, e muitos/as outros/as. Perdão por não citar todos/as.

    A primeira lembrança que vem em minha mente foi de uma gravidez, cheia de conflitos, para não dizer perigos e dores. Lembro que Eu (Emanuel), Ir. Elsie, Elayne, Edney e Evaldiney nos reunimos para sonhar/planejar/preparar a primeira Escola de Educadores e Educadoras de Adolescentes e Jovens do Regional Norte 1 (Amazonas- Roraima-Manaus), com a presença de Carmem Lúcia Teixeira, que estava passando por Manaus.

    Não titubeamos, pois queríamos os companheiros/as de caminhada conosco (Carmem, Lourival, Vanildes...). Queríamos que eles/as ficassem conosco e percebessem como são importantes para nós. Queríamos fazer a experiência da Escola.

    E...Raspamos o fundo da panela, com uma ajuda aqui, outra ali, sem nenhum tostão no bolso, fazendo a tão falada “vaquinha”. conseguimos com o apoio da Arquidiocese de Manaus e do Regional trazer pra junto da gente Lourival, Vanildes e João Paulo.

    Conseguimos formar uma turma de cerca de trinta pessoas para realizarmos a Escola de Educadores/as. Cada um/a contribuiu com o que pôde. E a Escola ocorreu em fevereiro de 2013. Foi uma experiência maravilhosa, onde todos/as, sem exceção, sentiram o amor, o carinho e a exigência da Equipe do Cajueiro (ainda nem tinha esse nome, mas já tinha a ação, como uma criança que ainda não nasceu, mas já era uma pessoa de muito valor).

    As Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo abriram sua casa pra gente e na Escola de Educadores/as dançamos, cantamos, rezamos, discutimos coisas sérias e fortes, também gargalhamos e construímos em 8 dias uma rica experiência de Deus. Com muito companheirismo, solidariedade, amor e fraternidade. Tivemos a sorte de experimentarmos o Cajueiro antes mesmo dele ter esse nome.

    E o que aconteceu depois? A experiência está dando muitos frutos. Só em Manaus já tivemos duas escolas e outra está sendo gestada esse ano. Muito do que temos hoje foi e é com a ajuda do Cajueiro.

    Ficamos imensamente felizes de saber que a criança nasceu (linda de viver), ganhou um nome (Cajueiro), uma identidade própria e está crescendo em tamanho e graça diante de Deus e da gente. Essa criança é tão atraente que faz juntas pessoas de vários lugares do Brasil, da América Latina e da África. Eita, que essa criança é grande!!!!

    Nós também temos uma criança por aqui pelo Amazonas, se chama Rede de Assessores/as e Cuidantes das Juventudes, ou simplesmente RACJ. Sabe, a gente é amigo/a de infância. Curiosamente a Rede tem identidade feminina, todo mundo chama “a Rede de Assessores/as” e o Cajueiro é chamado no masculino. Somos meio namoradinhos de infância (mais amizade que namoro). Mas acabamos sendo do mesmo gênero (masculino e feminino) e a somos amigo/as e namoraríamos de qualquer jeito.

    Ficamos muito felizes em sermos convidados para fazer parte de duas atividade virtuais: Na trilha do Grupos de Jovens e Civilização do Amor. Emanuel e Jeferson contribuíram como facilitadores de uma turma e Ronaldo e Valdiza de outra. E a amizade/namoro se fortalece a cada dia.

    Justiça seja feita, Carmem nos deixa atualizados em tudo o que ocorre, nos chama pra caminhar juntos e o Cajueiro nos presenteia com esse bonito espaço de partilha. Sambamos na cara do neoliberalismo e provamos que é possível viver/trabalhar para a Construção da Civilização do Amor. Juntos somos fortes... E que venham mais Escolas de Educadores, Encontros de amizade, Cursos Virtuais. Temos sede de Amor, de partilha e de justiça.

    Felicidades Mil, Cajueiro lindo/a! Feliz Aniversário! Que esses dois anos se multipliquem por Mil.

    Com carinho!!!

    Emanuel Costa – Rede de Assessores/as e Cuidantes das Juventudes!!!!

Curso de Formación virtual - Proyeto Camino de Esperanza



Civilización del Amor Proyeto y Missión nos convoca para una formación integral. Hay muchos modos de hacer. Aqui nosostros presentamos uno: Virtual - ensino a la distancia.

Pero podemos hacer a nuestro modo, organizar grupos locales para hacer juntos. Podemos hacelo solo, podemos invitar una congregacion religiosa para hacer ya apoyar el economico.

El proyeto tiene 06 cursos que trata del tema de la formación integral:
El Camino del grupo de Jovenes
1) Afetividad y sexualidad - proceso de personalización
2) El grupo - convocación y organización - processo de capacitación
3) La cultura juvenil y ecumenismo - proceso de integración
4) La Ciudadania  y politica - proceso de conscientización
5) Biblia y liturgia - proceso de evangelización
6) La Planificación del grupo - proceso de capacitación

El curso para educadores/as jovenes y adultos - En el camino de la Civilización del Amor
Estuda los Marcos del livro Civilización del Amor.

CUPOS  limitados - 1 turma por curso

mayores informaciones - virtual@cajueiro.org.br

pedimos su ayuda para llegar a muchas mas personas. Gracias!!!

Mira aqui todas las informaciones CURSO VIRTUAL - ESPAÑOL


terça-feira, 3 de março de 2015

Lista selecionados/as do curso Na Trilha da Universidade PreUni

Lista dos(as) Selecionados(as)
PréUni – Na Trilha da Universidade – Turma I - 2015
  1. Alberto Batista de Andrade - Água Branca – Goiânia
  1. Allyson Victor Martins Pereira - Jardim Ipiranga – Aparecida de Goiânia
  1. Amanda Portela Pereira - Vila Alpes – Goiânia
  1. Ana Claúdia Villa Real - Leste Universitário – Goiânia
  1. Angélica Cristina Ramos Leite – Jardim Novo Mundo - Goiânia
  1. Bianca de Paula Gusmão Crocetti – Residencial Monte Verde – Goiânia
  1. Brenda Jenyfer Vaz Martins – Cidade Livre – Aparecida de Goiânia
  1. Brígida Cristina Silva de Sousa – Pedro Ludovico – Goiânia
  1. Cézar Cedraz dos Santos – Leste Vila Nova – Goiânia
  1. Damares Débora da Silva Santos – Vila Irany – Goiânia
  1. Daniel Vieira Duarte – Garavelo – Aparecida de Goiânia
  1. Daniele Inez Silva Bahia – Bairro Independência – Aparecida de Goiânia
  1. Elivane de Souza Tolintino – Papilon Park – Aparecida de Goiânia
  1. Elvis de Oliveira Barreto – Vila Galvão – Goiânia
  1. Emilly Luise Brito de Souza – Setor Sudoeste – Goiânia
  1. Euvane Guarniere – Setor Universitário – Goiânia
  1. Fredison Morais dos Santos – Bairro Floresta – Goiânia
  1. Gerson Cabral de Almeida – Veiga Jardim – Aparecida de Goiânia
  1. Gerson Paulino Pereira – Leste Universitário – Goiânia
  1. Glaúcia Regina Ramos Ferreira – Jardim Novo Mundo – Goiânia
  1. Gustavo Vieira da Silva – Bairro Três Marias – Goiânia
  1. Heider Ferreira De Melo – Bairro Boa Vista – Goiânia
  1. Herika Gomes de Oliveira – Aruanã II – Goiânia
  1. Isley José Paulo de Souza – Cidade Vera Cruz II – Aparecida de Goiânia
  1. Janaína Francisca de Souza – Leste Universitário – Goiânia
  1. Jessyca de Paula Secoti – Bairro Maysa – Trindade
  1. Jordana de Souza Braz – Centro – Guapó
  1. Josielly Galvão Gomes – Residencial Rio Verde – Goiânia
  1. Júlia Jaqueline Gomes de Oliveira – Garavelo – Aparecida de Goiânia
  1. Juliana Rosa Marques – Jardim Santo Antônio – Goiânia
  1. Karlla Ferreira de Moraes – Balneário Meia Ponte – Goiânia
  1. Kelly Caetano Nunes – Residencial São Leopoldo – Goiânia
  1. Kimberly Yasmin Mota Fortuoso – Cidade Livre – Aparecida de Goiânia
  1. Lana Rayane Conceição de Miranda – Jd. das Acácias – Ap.de Goiânia
  1. Lilian Pires Marques Oliveira – Residencial Goiânia Viva - Goiânia
  1. Lorrany da Silva Santos – Vila Irany – Goiânia
  1. Luan de Lima Teixeira – Vila Moraes – Goiânia
  1. Lucas Gabriel Cardoso de Sousa – Residencial Alice Barbosa – Goiânia
  1. Maicon Cristiano Schafer – Bairro Independência – Aparecida de Goiânia
  1. Marcus Vinnicius Farias Bueno – Setor Universitário – Goiânia
  1. Maria Madalena Pereira Alves – Residencial Goiânia Viva – Goiânia
  1. Maria Marlene Gomes Batista – Parque Santa Maria – Goiânia
  1. Mariana Carneiro Crocetti – Jardim América – Goiânia
  1. Marivalda de Paiva – Setor Valéria Perillo – Senador Canedo
  1. Mateus Vinicius Pereira Rodrigues – Parque Ateneu – Goiânia
  1. Matheus Alves da Rocha Damasceno – Jardim Novo Mundo – Goiânia
  1. Natália Dourado Matos – Vila Nova – Goiânia
  1. Pabllo Phillpy Paula Lobo – Brisas da Mata – Goiânia
  1. Pamella Isadora Lopes de Oliveira – Setor Maysa – Trindade
  1. Pedro Henrique Mendes Lima e Silva – Parque Atheneu – Goiânia
  1. Philipe Araújo Pessoa – Parque Atheneu – Goiânia
  1. Priscila Dantas – Setor Maysa – Trindade
  1. Raissa Ferrreira Silva – Pontal Sul – Aparecida de Goiânia
  1. Ramon Cardoso de Sousa – Garavelo – Aparecida de Goiânia
  1. Raynara Cardoso de Sousa – Garavelo Park – Aparecida de Goiânia
  1. Silvângela de Souza Brito – Setor Universitário – Goiânia
  1. Sirlei Lúcio da Costa – Bairro Capuava – Goiânia
  1. Stephanny dos Santos Silva – Residencial Portinari - Goiânia
  1. Tássio Fernando Lopes Lima – Universitário – ­ Goiânia
  1. Thathyla Renata Rodrigues – Res. Candido de Queiros – Ap. de Goiânia
  1. Victor Emanuel Sousa de Almeida – Jardim Mariliza – Goiânia
  1. Vivian Aparecida Roque – Bairro Cardoso I – Aparecida de Goiânia
  1. Warley Lima de Souza – Criméia Leste – Goiânia


Lista de Espera para Segunda Chamada






  1. Artur Borges Mendes Alcanfor
Setor Sul
Goiânia
  1. Dayane Alves Ribeiro
Conjunto Vera Cruz
Goiânia
  1. Giulia Woitach Lourenço
Jardim Brasil
Goiânia
  1. Juliana Cristina Vieira
Centro
Goiânia
  1. Julyana Rodrigues Pires
Castelo Branco
Goiânia
  1. Letícia Vitória Marques Rosa
Jardim Santo Antônio
Goiânia
  1. Lia Vitória Ferreira Brito
Jardim Novo Mundo
Goiânia
  1. Lucas Eustaquio M. da Penha
Parque Atheneu
Goiânia
  1. Mariana Santos de Freitas
Coimbra
Goiânia
  1. Murielly Pereira Gomes
Setor Norte Ferroviário
Goiânia
  1. Roberta Brito Moura
Jardim Novo Mundo
Goiânia
  1. Clayton Chaves
Jardim Petrópolis
Goiânia



domingo, 1 de março de 2015

Ofício Divino da Juventude - Manual com as cifras das músicas



O Ofício Divino da Juventude - ODJ é um material organizado por vários grupos. Completou 10 anos em 2014. Está na sua 6a edição.

O Centro de Juventude Cajueiro é o responsável por sua publicação. Os grupos e pessoas que desejam apoiar a sua impressão basta entrar em contato. É uma modo de divulgar a sua organização junto aos jovens. O seu apoio também contribui para alimentar a mística em meio à juventude.

Aqui estamos disponibilizando o material que ajuda as pessoas que tocam. Ele foi preparado por José Wilson. É um modo de preparar melhor as orações.



OFÍCIO DIVINO DA JUVENTUDE COM CIFRAS

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Uma história escrita por muitas mãos em dois anos - Carmem Lucia Teixeira



A semente do Cajueiro leva no máximo 25 dias para germinar. No prazo de um ano a espécie de cajueiro anão já floresce. É uma árvore própria do Brasil. Está mais presente na região nordeste como cultivo de longa escala, porém é própria de região quente, aqui no centro oeste é nativa.

O Cajueiro que completa dois anos nasceu no cerrado. Terra quente e seca. A árvore faz parte do bioma cerrado. Em alguns lugares produz espécie diferente de tamanho e de cor.  Se produz muitos sabores em sorvetes, doces, pratos salgados, doces uma diversidade de preparo.

O Cajueiro que falamos é fruto de uma semente que foi jogada no chão em tempos de chuvas. O cerrado se abastece de água a partir de outubro até o final de março acolheu a semente.

Fazer memória de dois anos é contemplar deste o plantio até os dias de hoje. Retomar o cuidado e a contemplação da semente caída. Quando ela é jogada no chão há muitas dúvidas. Será capaz de germinar? Ela guarda dentro de si esta força capaz de brotar algo novo? O tempo que ela passa em silêncio escondida na terra é marcado por uma espera infinita.

Vivemos este tempo em "Betânia" reconhecendo nossa periferia e, também, os/as amigos/as que se juntam como um grupo de pessoas que se quer bem e que tem uma causa comum: a juventude empobrecida. Tempo de plantar e ficar na espera. Também, tempo de elaborar o luto, chorar o encerramento de um projeto da grandeza e da qualidade que foi a Casa da Juventude em nossas vidas e na vida de tantas pessoas.

Creio que já se percebe as flores e frutos produzidos. Há  cuidado de tantas pessoas e grupos que apoiam esta iniciativa! Acreditar no pequeno. Apoiar iniciativas que podem não vingar.  Porém, não foi isto que experimentamos neste tempo, vivenciamos a confiança, o apoio, a solidariedade, a partilha... Há tanto esforço que Deus, por misericórdia, não nos deixa só. É muita teimosia.

Celebrar é registrar a memória. Quem quer dizer do Cajueiro? Vamos fazer uma memória coletiva? Esperamos sua contribuição - em texto, poesia, música, imagens, depoimentos gravados...




sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Como preparar a comunidade para viver a Campanha da Fraternidade?




Aqui apresentamos um caminho para a capacitação de educadores/as, líderes das comunidades para se capacitar para viver a Campanha da Fraternidade. O tema é sobre a sociedade. Portanto, exige de nós criatividade.

Katiuska Serafin preparou o hino da CF 2015 com imagens que podem nos ajudar a refletir sobre o nosso compromisso com a construção da sociedade que queremos e sonhamos.


















O Jornal Mundo Jovem preparou um bom material: Somos Sementes. Um vídeo que pode ser trabalhado nas escolas e nas comunidades porque convida para assumirmos a nossa tarefa de transformar a sociedade.
CONHEÇA O MATERIAL DO MUNDO JOVEM

Preparamos um roteiro que é possível realizar em três horas. Já experimentamos em dois lugares da Diocese de Goiás. Vejam se ajuda em sua preparação ROTEIRO DE CAPACITAÇÃO PARA A CF2015

Vamos aprofundar o tema da sociedade para entender como funciona a estrutura da desigualdade
Um pensador norte americano provoca a pensar sobre o modo como se organiza a manipulação. Este vídeo ajuda a aprofundar nossa leitura da sociedade


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Calendário do Cajueiro 2015 - MARÇO


O Centro Cajueiro no mês de março:

Projeto Jovem Comunica
Objetivo - organizar e capacitar jovens para a comunicação para que os/as jovens podem dizer sua PALAVRA para o mundo.
O projeto propõe três encontros anuais: março, junho e outubro
Realizar as oficinas de capacitação do uso das redes sociais, oficinas de texto, montagem de vídeos, organização da comunicação em dois âmbitos - do cajueiro e da vida da juventude.

Projeto Assessoria
Objetivo - apoiar as iniciativas de outros grupos a partir dos conhecimentos que os profissionais do Cajueiro tem e pode compartilhar em vista de um melhor acompanhamento da juventude.

Projeto Na Trilha da Universidade
Objetivo - capacitar lideranças jovens empobrecidas para que possam ser sujeitos históricos e enfrentar as barreiras que são postas na vida deste público que impedem a realização de seus projetos de vida, sua entrada na universidade e no mundo do trabalho.
O projeto acontece de 09 de março até o dia 27 de junho - 4 meses - todos os dias de segunda a sexta feira. O curso está organizado por eixos: linguagem, biológicas, sociedade, exatas e transversal.

Projeto Pesquisa
Objetivo - investigar e estudar temas do interesse do grupo em vista de uma melhor atuação no mundo da juventude.
O projeto tem dois grupos: Juventude e a sua condição e educação popular. Encontros que acontecem duas ou uma vez por mês. O projeto está em parceria com a Universidade Federal de Goiás, FAPEG e outras pessoas e grupos que se dedicam ao tema.

Projeto Cultivo da Mística
Objetivo - cultivar o grupo e a sua mística em vista de cuidar das pessoas, fortalecer os vínculos entre as pessoas envolvidas no projeto.

Ofícios nas casas e encontros celebrativos da Rede Popular Cara Vídeo. Em março, vamos iniciar visitando a cada da Ana Maria Tomaz.

Projeto Rede
Objetivo - fomentar as redes é um dos princípios da ação do Centro de Juventude para estabelecer novos caminhos na construção de um mundo justo e fraterno

Projeto Cajueiro - Cuidado com a casa
Objetivo - fortalecer o grupo no caminho e na sua organização como Centro de Juventude.
A assembleia reúne os membros e amigos/as para decidir o caminho.





segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Quem nos governa? por Vladimir Safatle —na revista Carta capital, São paulo, 15/02/2015

Leiam o texto publicado na Revista Carta Capital. Prove que gostamos de Política. Vamos divulgar.

Segue o texto:


Estamos em 1860. O Império Britânico acaba de vencer a famosa “Guerra do Ópio” contra a China, talvez uma das páginas mais cínicas e criminosas da história cínica e criminosa do colonialismo. Metade do comércio da Inglaterra com a China baseia-se na venda ilegal de ópio. Diante da devastação provocada pela droga em sua população, o governo chinês resolve proibir radicalmente seu comércio. A resposta chega por uma sucessão de guerras nas quais a Inglaterra vence e obriga a China a abrir seus portos para os traficantes e missionários cristãos (uma dupla infalível, como veremos mais à frente), além de ocupar Hong Kong por 155 anos.


Em 1860, guerra terminada, os ingleses tiveram a ideia de abrir um banco para financiar o comércio baseado no tráfico de drogas. Dessa forma apoteótica, nasceu o HKSC, tempos depois transformado em HSBC (Hong Kong and Shangai Bank Corporation), conhecido de todos nós atualmente. Sua história é o exemplo mais bem acabado de como o desenvolvimento do capitalismo financeiro e a cumplicidade com a alta criminalidade andam de mãos dadas.

A partir dos anos 70 do século passado, por meio da compra de corporações nos Estados Unidos e no Reino Unido, o HSBC transformou-se em um dos maiores conglomerados financeiros do mundo. No Brasil, adquiriu o falido Bamerindus. Tem atualmente 270 mil funcionários e atua em mais de 80 países. Sua expansão deu-se, em larga medida, por meio da aquisição de bancos conhecidos por envolvimento em negócios ilícitos, entre eles o Republic New York Corporation, de propriedade do banqueiro brasileiro Edmond Safra, morto em circunstâncias misteriosas em seu apartamento monegasco. Um banco cuja carteira de clientes era composta, entre outros, de traficantes de diamantes e suspeitos de negócios com a máfia russa, para citar alguns dos nobres correntistas. Segundo analistas de Wall Street, a instituição financeira de Nova York teria sido vendida por um preço 40% inferior ao seu valor real.

Assim que vários jornais do mundo exibiram documentos com detalhes de como a filial do HSBC em Genebra havia lavado dinheiro de ditadores, traficantes de armas e drogas, auxiliado todo tipo de gente a operar fraudes fiscais milionárias e a abrir empresas offshore, a matriz emitiu um seco comunicado no qual informava que tais práticas, ocorridas até 2007, não tinham mais lugar e que, desde então, os padrões de controle estavam em outro patamar. Mas não é exatamente essa a realidade.

Em julho de 2013, a senadora norte-americana Elisabeth Warren fez um discurso no qual perguntava: quanto tempo seria ainda necessário para fechar um banco como o HSBC? A instituição havia acabado de assumir a culpa por lavagem de dinheiro do tráfico de drogas mexicano e colombiano, além de organizações ligadas ao terrorismo. Tudo ocorreu entre 2003 e 2010. A punição? Multa irrisória de 1,9 milhão de dólares.

Que fantástico. Entre 2006 e 2010, o diretor mundial do banco era o pastor anglicano (sim, o pastor, lembram-se da Guerra do Ópio?) Stephen Green, que, desde 2010, tem um novo cargo, o de ministro do gabinete conservador de David Cameron, cujo governo é conhecido por não ser muito ágil na caça à evasão fiscal dos ricos que escondem seu dinheiro. Enquanto isso, os ingleses veem seu serviço social decompor-se e suas universidades serem privatizadas de fato. O que permite perguntas interessantes sobre quem realmente nos governa e quais são seus reais interesses.

Alguns fatos são bastante evidentes para qualquer interessado em juntar os pontos. Você poderia colocar seus filhos em boas escolas públicas e ter um bom sistema de saúde público, o que o levaria a economizar parte de seus rendimentos, se especuladores e rentistas não tivessem a segurança de que bancos como o HSBC irão auxiliá-los, com toda a sua expertise, na evasão de divisas e na fraude fiscal. Traficantes de armas e drogas não teriam tanto poder se não existissem bancos que, placidamente, oferecem seus serviços de lavagem de dinheiro com discrição e eficiência. Se assim for, por que chamar de “bancos” o que se parece mais com instituições criminosas institucionalizadas de longa data?

Nota do Distribuidor: A imprensa brasileira revelou que há na agencia do HSBC de Genebra contas bancárias de 11.200 brasileiros, milionarios, com depositos sem origem comprovada, no valor de 14 bilhões de dolares.

Não se tem noticia que algum procurador da Procuradoria geral da Republica, pedisse a lista dos sombrios personagens. Nenhum deputado ou senador pediu para abrir uma CPI e investigar os nomes e a origem do dinheiro que saiu do Brasil e foi parar em Genebra; Possivelmente tenham financiado a campanha de todos eles!!

Nenhum magistrado se pronunciou, nem o ex-capitão-do-mato, JB teceu comentarios. Afinal quem manda dinheiro para fora para comprar apartamento em Miami, não tem muita moral em procurar conta bancarias de outros...

E a TV Globo, quietinha... preocupada com carnaval e impechment da Presidenta!

domingo, 22 de fevereiro de 2015

UMA PALAVRA DA IGREJA? Hilário Dick




As festas de Carnaval ainda reboam ou vão continuando a mexer com o povo de outra forma, mas em meio aos tambores aparece o "Texto Base" da Campanha da Fraternidade tendo como tema Igreja e Sociedade. Um tema amplo, mas muito importante: “Fraternidade: Igreja e Sociedade”. O lema, radical como o cristianismo: “Eu vim para servir”.
 

Todo Texto/Base de todas as Campanhas já havidas no Brasil, desde 1964, se postavam nalgum cenário de Igreja. Muitas vezes tomavam posturas corajosas, proféticas; noutras menos, mas em geral “afirmativas”. Há historiadores das Campanhas que dizem que se destacaram, como temas, três questões, dizendo que estamos na fase da Igreja se voltando para situações existenciais do povo brasileiro. Qual seria o tema da CF de 2015? A Fraternidade? A Igreja? A Sociedade? Se é uma situação existencial, qual é a saúde e a enfermidade destas três realidades olhadas em conjunto?

Para quem lê o Texto/Base a pergunta que fica é: afinal, de que devemos falar? 

1) Da Fraternidade? Para quem vive no Brasil poderia ser um assunto muito importante para quem viveu o tempo dos mensalões, das raivas e ódios das eleições, das interpretações facciosas do fenômeno da corrupção, achando pecadores somente de um lado, da não aceitação de uma vontade popular, de tanto que tivemos que ver e ouvir. 

2) Da Sociedade? Será que o Texto/Base nos apresenta uma utopia de sociedade ou fica numa generalidade onde não entra nem consumismo, nem liberalismo, nem ecologismo vendo uma sociedade que não só mata, mas se mata a si mesma? Disso, contudo, não se fala. Os muros e os tapumes escondendo o que não queremos ver, encontrar, conviver etc. fica um assunto esquecido. 

3) Da Igreja? Fala-se de Igreja, sim, mas uma Igreja que se situa aonde? Sem dizer muita coisa, prefiro ficar com as palavras do Papa Francisco (citado na apresentação do Texto/Base) que diz: "prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma fechada pelo fechamento e comodidade de se agarrar às próprias seguranças". Será que a Igreja do Texto é qual dessas Igrejas? Descubra e abra a boca. Só sei dizer que é muito lamentável que não venham palavras nem alentadoras nem proféticas. Parece que se dizem coisas só para dizer... Fala-se somente porque é preciso falar, mesmo que se diga tanto que não se diz nada. Aliás, parece que é isso que funciona em muitas colunas de igrejas: “não ofender ninguém”: “no máximo, provocar uma moralidade que seja segura, isto é, ultrapassada e que ninguém mais respeita”...
Qual é, afinal, a grande conversão que precisamos? A rejeição de uma vontade de “ser povo”, de “ser justo”, de “aceitar que a pobreza existe”, de saber que “fora dos pobres não há salvação”, de admitir que a corrupção é uma doença que pode brotar em todos nós e não só naqueles que não pensam como nós? Temos que ter consciência que, para muitos, a fraternidade é uma bobagem; que a sociedade é o que me interessa e me satisfaz, mesmo que 90% da humanidade não entram no campo de minhas preocupações? Temos que ter consciência que a Igreja é, de fato, santa e pecadora, não adiantando esconder os erros mas, também, não sabendo ver as santidades que são tão bonitas que não queremos ver. Custa tanto convencer-nos que até os que não nos conhecem sonham que sejamos uma Igreja Servidora? Sim, a conversão é uma necessidade urgente para a nossa sobrevivência e a sobrevivência de nossa Mãe Terra.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

PARTICIPAR - vamos levantar nossa bandeira das políticas públicas para a vida da juventude e do país.




Vamos colocar nossa bandeira e provocar mudanças deste as estruturas do país. Olha só a oportunidade de participar deste caminho.
A participação é uma das ferramentas mais importantes para a construção deste país. Vamos participar e sugerir caminhos para que a vida da juventude possa ser cultivada. Nossa campanha "A Juventude quer Viver" passa por mudanças estruturais.

Veja abaixo as formas de participação. Reúna seu grupo e vamos enviar várias sugestões.


Acompanhe e opine sobre diversos temas importantes para o Brasil. Seja protagonista da nossa história:
  • Como deve ser a LDO em 2016? Qualquer pessoa pode enviar sugestões para a elaboração do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016. A consulta pública está aberta no Participa.br até o dia 4 de março: http://ow.ly/JlhCK
  • Consulta sobre as propostas que a Defensoria Pública da União levará ao Congresso das Nações Unidas sobre a Prevenção do Crime e Justiça Criminal. As pessoas que sugerirem as ideias mais bem priorizadas ganharão livros sobre o tema da conferência. Participe e concorra: http://ow.ly/JkU9L
  • Como gamificar a participação social pela internet? Até o dia 28 de fevereiro a Secretaria-Geral da presidência (SG-PR), realiza um concurso de ideias sobre Gamificação. Os autores das três ideias mais votadas participarão da próxima etapa de desenvolvimento do Participa.br, em Brasília, durante o Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre (Flisol), em 25 de abril. Não fique de fora: http://ow.ly/JkUj4
  • Participe das discussões coletivas sobre a “Nova Agenda Urbana Mundial” (Agenda Habitat III) e ajude a construir o relatório nacional para 3ª Conferência da ONU sobre Habitação e desenvolvimento urbano sustentável: http://ow.ly/JkTvI - A próxima etapa será um seminário interativo na próxima segunda-feira (23/02), agende-se e acompanhe ao vivo pela comunidade: http://www.participa.br/habitat

Acompanhe o #ParticipaBR também nas redes sociais:
Facebook www.facebook.com/participabr 
Twitter www.twitter.com/participabr
Instagram www.instagram.com/participabr

ilustração - bandeira Wiphala (Povos andinos) imagem internet. Onde esta bandeira está estendida significa que aqui tem gente que luta pela vida.